domingo, 25 de novembro de 2012

Curiosidades Cerebrais

Você sabia?

Que a parte esquerda do cérebro controla a parte direita do corpo e vice-versa!
Isto porque, o córtex  motor do hemisfério esquerdo controla a parte direita do corpo e o córtex motor do hemisfério direito controla o lado esquerdo do corpo…
É chamado um processo contralateral.
-85% do cérebro humano é composto por água!
Se se pudesse explorar a eletricidade gerada pelos neurônios, poder-se-ia acender uma lâmpada de 20 w.

sssssssss.jpg

  Ilusões ópticas: a tendência do cérebro para a organização.                                                                 
 A interpretação do que vemos no mundo exterior é uma tarefa muito complexa. Já se descobriram mais de 30 áreas diferentes no cérebro usadas para o processamento da visão.
Umas parecem corresponder ao movimento, outras à cor, outras à profundidade (distância) e mesmo à direcção de um contorno. Mas o nosso sistema visual e o nosso cérebro tornam as coisas mais simples do que aquilo que elas são na realidade.
É essa simplificação, que nos permite uma apreensão mais rápida (ainda que imperfeita) da «realidade exterior», que dá origem às ilusões de óptica.
Vemos o mundo de acordo com a maneira como o nosso cérebro o organiza. E nem sempre ele faz um bom trabalho…





Tente ler



Quantos animais há na figura?


Faça a leitura do nome das cores, depois, diga as cores em que estão escritas as palavras.





Especialização cerebral


   
  Hemisfério Esquerdo
 Hemisfério Direito
Verbal
Não-verbal
Analítico
Sintético
Abstracto
Analógico
Temporal
Não-racional
Racional
Atemporal
Digital
Espacial
Lógico
Intuitivo

Fonte:http://cerebroeciencia.wordpress.com/curiosidades-cerebrais/

Intuição


Cérebro Direito: Mente Criativa
Desenvolvendo a INTUIÇÃO



A intuição é nossa bússola interior, uma voz independente da razão. Sabe sem explicar. Do latim “INTUERI” significa olhar atentamente, considerar, ver interiormente, contemplar. É uma capacidade do lado direito do cérebro. Todos temos INTUIÇÃO! Não é uma questão de escolha. Assim como nascemos com a razão, também nascemos com a intuição. A questão é ouvi-la e desenvolvê-la. Alguns se referem a ela como o SEXTO SENTIDO, um palpite, um faro.
Erroneamente considera-se que as mulheres sejam mais intuitivas que os homens. Elas apenas a expressam mais. Os cientistas são intuitivos por natureza, vão em busca daquilo que não sabem, e ainda não foi descoberto. A razão só segue os caminhos já conhecidos e traçados.
Com o advento do Iluminismo passamos a privilegiar apenas a razão, tudo passou a ser cartesiano, explicado, quantificado, lógico. Uma decisão AJUIZADA deve ser racional, baseada em fatos, informações.

Você até pode dizer que sabe que precisa fazer aquilo de uma determinada maneira, mas, se não for capaz de explicar, sua decisão será tida como arriscada, perigosa, vulnerável, demonstrando um descrédito pela intuição.

Sufocamos a intuição pois uma educação voltada exclusivamente para a lógica bloqueia a capacidade de darmos crédito à voz interior, de seguirmos seus palpites e orientações.

Entretanto, no Século XXI buscamos a inovação. Quando tudo está em nível ótimo de igualdade – educação, inteligência, experiência – qual o fator determinante que faz a diferença para um desempenho superlativo entre uma pessoa e outra? É a INTUIÇÃO! Hoje em dia considerada uma das 5 qualidades mais importantes do funcionário ideal, pessoas capazes de enxergar o futuro.

A GINÁSTICA CEREBRAL ajuda a equilibrar a energia dos 2 hemisférios, direito/criativo-emocional e esquerdo/lógico-racional, com exercícios simples de 1 minuto que qualquer pessoa pode praticar em casa, na escola, no trabalho. Além de melhorar a memória, concentração, aprendizado, auto-estima, e eliminar stress, também ajuda a aflorar a INTUIÇÃO.

Fonte: http://www.ginasticacerebral.com/intuicao.htm


Curiosidades do nosso cérebro

 Como é que é possível?

De aorcdo com uma pqsieusa de uma uinrvesriddae ignlsea, nao ipomtra a odrem plea qaul as lrteas de uma plravaa etaso, a úncia csioa iprotmatne é que a piremria e útmlia lrteas etejasm no lgaur crteo. O rseto pdoe ser uma ttaol csãofnuo que vcoe pdoe anida ler sem gnderas pobrlmea. Itso é poqrue nós nao lmeos cdaa lrtea isladoa, mas a plravaa cmoo um tdoo.

 Não sabe contar? :-)

TESTE: rápido e impressionante: conte, quantas letras "F" tem
no texto abaixo sem usar o mouse:

            FINISHED FILES ARE THE RE-

            SULT OF YEARS OF SCIENTIF-

            IC STUDY COMBINED WITH

            THE EXPERIENCE OF YEARS

Em seguida selecione o texto oculto a partir de aqui:

                       
                     
Quantos??? 3??? Talvez 4???
         

Errado, são 6 (seis) - não é piada!
Volte para cima e leia mais uma vez!
A explicação está mais abaixo ...

O cérebro não consegue processar a palavra "OF".



 Conflito Cerebral

Diga as cores e não as palavras :-)

Azul vermelho roxo
Roxo Amarelo verde
Laranja verde preto
Verde azul laranja

http://ginasiomental.com/cerebro.htm


sexta-feira, 16 de novembro de 2012



O canal kids traz sugestões para ensinar de forma lúdica  para a criançada sobre o desenvolvimento cerebral.
  Simplesmente, FANTÁSTICO!!!


O que é que você tem dentro da cabeça, hein? É só "quebrar a cuca" abaixo e explorar com o mouse as regiões do cérebro. Clique nas áreas coloridas, mas não esqueça de fuçar em todas as partes dessa cuca maluca.

Você vai ver e ouvir cada coisa...


Pensando bem, ele não parece uma noz bem grandona?





 


O que é, o que é: está dentro da sua cabeça, é enrugado e dividido como uma noz gigante, e
ajuda você a pensar e a fazer tudo? 

É ele: o cérebro! O principal órgão do sistema nervoso, que controla o corpo inteirinho! Ele é o responsável por todas as ações voluntárias e involuntárias do nosso corpo.
As ações voluntárias são aquelas que a gente faz por vontade própria: falar, brincar, mexer um dedinho do pé e muitas outras coisas. Já as ações involuntárias são aquelas que fazemos sem saber, como a respiração e o bater do nosso coração. Isso tudo é obra do trabalho incessante do nosso cérebro!
Ele funciona como uma grande empresa, onde os trabalhadores são as células nervosas, ou neurônios. Essas células processam todas as informações para que o cérebro trabalhe direitinho! Ao contrário da maioria das células de corpo, que morrem e são substituídas por outras, os neurônios não se regeneram: quando morrem, não aparece ninguém para ocupar o seu lugar!
Existem cerca de 100 bilhões dessas "operárias" em 1,4 quilo de massa orgânica (esse é o peso aproximado do cérebro de um adulto!): isso equivale a 2% do peso do corpo. Achou pouco? Pois saiba que, em compensação, o exigente cérebro consome 25% dutilizado pelo nosso organismo!e todo o oxigênio 

Quer saber mais? Então vamos partir o cérebro!




Quem será que teve a idéia de saber como temos... idéias? Na antiga Grécia, um filósofo chamado Alcmaeon, da cidade de Crotona, foi um dos primeiros a estudar a relação entre o cérebro e o comportamento humano. Nessa mesma época, Hipócrates, um dos fundadores da medicina, ficou matutando sobre a a relação do cérebro com a consciência, e como esse órgão controlava os movimentos.

De lá para cá, muitos outros estudiosos se debruçaram sobre a nossa massa cinzenta, e conseguiram desvendar alguns mistérios sobre seu funcionamento.

Para saber o que eles descobriram, vamos ter que rachar a cuca, ou melhor, partir o cérebro e ver como ele funciona!







Além de ser um período muito gostoso, a infância é uma fase muito importante: é quando o cérebro se desenvolve. Um bebê recém-nascido possui, mais ou menos, um quarto da massa cerebral de uma pessoa adulta. Achou muito? A essa altura, o bebezinho já tem quase todos os neurônios que usará para o resto da vida! Afinal, não é só a gente que cresce: os neurônios também crescem.
Aos seis meses o cérebro atinge 50% do seu peso final, e aos oito anos ele já chega a 90%. Mas não basta crescer só em tamanho, pois o cérebro também precisa de estímulos constantes para se desenvolver. Um bebê que fica deitado a maior parte de seu primeiro ano de vida não terá um desenvolvimento normal. 

 Vamos ver como o cérebro se desenvolve quando a gente é criança?

Vamos começar pela linguagem!
Dos 7 aos 10 meses, o bebê já identifica e imita alguns sons que ouve da sua mamãe. Aos 2 anos, o cérebro está em uma importante fase de evolução. Isso significa que você deve falar bastante com o seu irmãozinho (ou irmãzinha) para enriquecer o vocabulário dele(a).

O cérebro responde bem a estímulos desde que somos crianças. A nossa "cachola" também funciona melhor na infância, pois algumas partes do cérebro estão funcionando a pleno vapor. Quer ver?

Qual é a melhor época para se aprender uma segunda língua? Bom, nunca é tarde para isso, mas a melhor fase é antes dos 10 anos. É bom começar logo!

Quer ser um astro da música? Pois, então, aprenda a tocar algum instrumento dos 3 aos 10 anos de idade. Prefere ser um gênio da matemática? Então saiba que a melhor época para mexer com as continhas é do primeiro ao quarto ano de vida!
Resumindo, essas são algumas das habilidades que desenvolvemos melhor na infância, graças à esperteza do nosso amigo cérebro:
Visão: 0-2 anos
Vocabulário: 0-3 anos
Segunda língua: 0-10 anos
Matemática e lógica: 1-4 anos
Música: 3-10 anos


DIFERENTES E INSEPARÁVEIS

Você sabe como o cérebro funciona? 

O cérebro humano é dividido em duas metades, o lado esquerdo e o lado direito...
O Esquerdo pensa: "2+2 = 4"
O Direito pensa: "2+2 = Dois patos na lagoa"
O lado esquerdo é responsável pelo pensamento lógico, e o lado direito, pela criatividade.
O Esquerdo pensa: "A chuva é a água evaporada dos mares e rios, que se condensa nas nuvens e cai na terra."
O Direito pensa: "Mãe, as nuvens estão espirrando!"
A metade esquerda do cérebro comanda o lado direito docorpo, e a metade direita do cérebro comanda o lado esquerdo do corpo.
Então a menina pensa: "Assim você deu um nó na minha cabeça!"
Esquerdo e Direito , juntos - "Que nada! Nós trabalhamos juntos, é só assim é que você consegue pensar e se mexer."

Você já deve ter ouvido falar de pessoas que ficam internadas no hospital em estado de coma... mas que estado é esse?
O coma vem do grego "kôma", que quer dizer "sono profundo". "Nossa, então eu entro nesse tal estado de coma todas as noites!"Na verdade, o coma é um estado de inconsciência, em que nem um cutucão desperta a pessoa: ela perde parte das funções cerebrais, mas a respiração e a circulação funcionam normalmente. No coma profundo, a pessoa pode ficar deitada em uma cama durante vários anos, sem responder a nenhum estímulo externo.
Mas como a pessoa entra em coma? Existem vários motivos: pode ser um derrame, um acidente de automóvel, um choque. Se uma pessoa ficar sem respirar por 4 minutos, por exemplo, ela poderá entrar em coma, já que muitas células do cérebro (neurônios) morrem, sem poder ser substituídas.


Lá está você, morrendo de fome na cozinha, enquanto sua mãe faz o almoço, quando surge a péssima idéia de mexer nas panelas. Você queima o dedo e dá aquele grito!

Ai!!! A dor é uma mensagem que o tato enviou para o cérebro. Ele reage mandando outra mensagem para os músculos, e você retira a mão das panelas!

Isso quer dizer que o cérebro é responsável pelas nossas reações também. E, muitas vezes, ele precisa ser bem ligeiro: além do exemplo da panela, existem outras situações que exigem resposta rápida, como desviar a bola para o gol durante uma partida de futebol ou pisar com o pé no freio para evitar um acidente.
Nesses casos, a informação é enviada a uma velocidade de, aproximadamente, 100 metros por segundo. Para outras atividades, como o aprendizado, a velocidade é mais lenta, cerca de 20 a 30 metros por segundo.

Veja o que você pode fazer para ter uma boa memória!



Seu amigo acaba de apresentar um novo colega e, logo em seguida, você já esquece o nome dele... Quantas vezes isso já aconteceu? Pois saiba que você pode fazer algumas coisinhas simples para melhorar a sua memória:

- Uma boa noite de sono é superimportante, afinal o cérebro também precisa descansar! Estudos científicos comprovam que o sono é essencial para o aprendizado. Você já passou por uma noite em que não conseguia dormir de jeito nenhum? Isso é chamado de insônia. Pois é, a insônia faz com que a gente fique cansadíssimo durante o dia, e isso prejudica a nossa concentração e a nossa capacidade de guardar as informações.
- Por falar em concentração, tente se dedicar a uma coisa de cada vez. Por exemplo: você está assistindo à aula e também ouvindo a conversa do colega sentado atrás de você. Prestar atenção em duas coisas ao mesmo tempo prejudica a concentração.

- Uma boa alimentação é fundamental para o funcionamento da memória, e algumas vitaminas ajudam bastante, como a tiamina, o ácido fólico e a vitamina B12. Elas estão em alimentos bastante comuns, como o pão, os cereais, as frutas e os vegetais.

Agora que você já sabe de tudo isso, que tal dar um descanso para o seu cérebro?

Disponível em:http://www.canalkids.com.br/saude/cerebro/dicas.htm







                 CID – RESUMO ADAPTADO


Código                          Descrição



F.80.0              Dislalia

F.80.1/F.80.2   Atraso de Linguagem
F.81.0              Dislexia
F.81.1              Disortografia
F.81.2              Discalculia Infantil
F.81.8              Agrafia
F.81.9              Dificuldade de Aprendizagem
F.82/R.27.8      Disgrafia
F.83/F.90         Transtorno Psicomotor
F.88                 Agnosia de Desenvolvimento
F.98.5              Disfemia
G.51                 Paralisia de Bell
H.90                 Surdez Congênita Neurossensorial
H.90.0              Surdez Bilateral
H.90.8              Surdez Sensoneural Mista
H.91                 Outras Perdas de Audição
H.91.3              Surdo-mudez
H.93.2              Disacusia
Q.35                 Fissura Palatina
Q.36                 Fissura Labial
Q.37                 Fissura Lábio-palatina
R.13                 Disfagia
R.47.0              Afasia/Disfasia
R.47.1              Anartria/Disartria
R.48.0              Alexia/Dislexia
R.48.1              Agnosia
R.48.2              Apraxia
R.48.8              Acalculia/Agrafia/Agramatismo
R.49.0              Disfonia
R.49.1              Afonia
R.49.2              Hipernasalidade/Hiponasalidade
Z.39.1              Supervisão ao Aleitamento Materno
P.92.5              Dificuldade Neonatal na Amamentação no Peito
Z.10.0              Exame de Saúde Ocupacional
Z.01.1              Exame dos Ouvidos e da Audição
Z.46.1              Colocação e Ajustamento do Aparelho Auditivo
Z.50                 Cuidados Envolvendo o Uso de Procedimento de Reabilitação
Z.71.9              Aconselhamento não Especificado
Z.71.2               Consulta para Explicação de Exames
Z.71.0               Pessoa que consulta no interesse de um terceiro
1ÍNDICE CID - 10
Código                                                                   Descrição
F.80      Transtornos Específicos do Desenvolvimento da Fala e da Linguagem
F.81      Transtornos Específicos do Desenvolvimento das Habilidades Escolares
F.82      Transtornos Específicos do Desenvolvimento Motor
F.83      Transtornos Específicos Mistos do Desenvolvimento
F.84      Transtornos Globais do Desenvolvimento
F.90      Transtornos Hipercinéticos
F.94.0   Mutismo Seletivo
F.98.5   Disfemia
F.98.6   Linguagem Precipitada
G.51.0  Paralisia de Bell
H.83.3  Perda de Audição Induzida por Ruído
H.90     Surdez Congênita Neurossensorial
H.91     Outras Perdas de Audição Causando Alteração na Fala
H.93.0  Surdez Isquêmica Transitória
H.93.2  Percepção Auditiva Anormal
K.07     Anomalias Dentofaciais
K.14     Língua
P.92.1 Sintomas e Sinais Relativos à Ingestão de Alimentos e Líquidos
Q.35    Fenda Palatina
Q.36    Fenda Labial
Q.37    Fenda Labio-palatina
R.13    Disfagia
R.41    Outros Sinais e Sintomas Relativos a Função Cognitiva
R.43    Distúrbios do Olfato e Paladar
R.47    Sintomas e Sinais Relativos à Fala e à Voz
R.48    Dislexia e outras Disfunções Simbólicas não classificadas em outra parte
R.49    Distúrbios da Voz
Z          Pessoas em  contato com os Serviços de Saúde p/ Exame e Investigação
2CLASSIFICAÇÃO ESTATÍSTICA INTERNACIONAL DE DOENÇAS E
PROBLEMAS RELACIONADOS À SAÚDE FONOAUDIOLÓGICA
CID 10/OMS/1997
Transtornos específicos do desenvolvimento da fala e da linguagem    F.80
F.80.0       Dislalia (articulação; comunicação fonológica; funcional de articulação)
F.80.1       Transtornos do desenvolvimento da linguagem da criança expressivo
F.80.2       Transtornos do desenvolvimento da linguagem da criança receptivo
F.80.8       Transtornos do desenvolvimento da fala ou da linguagem – outros
F.80.9   Transtornos do desenvolvimento  da fala ou da linguagem – não                        
especificado
Transtornos específicos do desenvolvimento das habilidades escolares        
F.81
F.81.0        Transtorno específico de leitura
F.81.1        Transtorno específico da soletração e da escrita
F.81.2        Transtorno específico da habilidade em aritmética
F.81.3        Transtorno misto de habilidades escolares
F.81.8        Transtorno de desenvolvimento da escrita
F.81.9   Incapacidade ou transtorno  na aquisição de conhecimento ou
aprendizagem

Transtornos específicos do desenvolvimento motor                               F.82
(criança desajeitada, transtorno na aquisição da coordenação, desenvolvimento do
tipo dispraxia)
Transtornos específicos mistos do desenvolvimento                              F.83
(transtorno do desenvolvimento da fala, linguagem, habilidades escolares, funções
motoras e cognitivas se superpondo).
Transtornos globais do desenvolvimento                                                  F.84
(alterações qualitativas das interações sociais recíprocas e modalidade de
comunicação com repertório de interesses  e atividades restrito, estereotipado e
repetitivo)
3F.84.0    Autismo Infantil
F.84.1    Autismo Atípico (psicose infantil atípica, retardo mental com característica
autista)
OBS: Retardo Mental com transtorno de fala                                                F.70
          Retardo Mental não especificado com transtorno de fala                   F.79
Transtornos Hipercinéticos                                                                        F.90
(déficit cognitivo, atraso no desenvolvimento da motricidade e linguagem)
F.90.0   Distúrbio simples da atividade e atenção associado a hipercinesia
F.90.1   Transtorno hipercinético de conduta
F.90.8   Outros transtornos hipercinéticos
F.90.9   Transtorno hipercinético, não especificado (infância e adolescência)
Mutismo Seletivo                                                                                       F.94.0
Disfemia                                                                                                      F.98.5
Linguagem Precipitada                                                                             F.98.6
Paralisia de Bell                                                                                         G.51.0
Perda da Audição por Cerúmen Impactado                                             H.61.2
Perda da Audição Induzida por Ruído                                                      H.83.3
Surdez Congênita Neurossensorial                                                           H.90
(perda da audição causando transtorno da fala)
H.90 Perda da audição bilateral por problema de condução                        
H.90.1   Perda da audição unilateral por transtorno da condução sem restrição de      
audição contralateral
H.90.2   Perda não especificada de audição devido a transtorno de condução –  
Surdez de condução
H.90.3    Perda de audição bilateral neurossensorial
H.90.4  Perda da audição unilateral neurossensorial sem restrição de audição
contralateral
H.90.5   Perda da audição neurossensorial não especificada
H.90.6 Surdez mista bilateral
4H.90.7 Surdez Mista Unilateral
H.90.8 Perda de audição mista, não especificada
Outras Perdas de Audição Causando Alteração na Fala         H.91
H.91.1   Presbiacusia
H.91.2   Perda de audição súbita, idiopática
H.91.3   Surdo-mudez
H.91.8   Outras perdas de audição especificadas (fadiga auditiva)
H.91.9   Perda não especificada de audição (alta e baixa freqüência)
H.93.0   Surdez devida a isquemia transitória
H.93.2   Percepção auditiva anormal (alteração temporária do limiar auditivo,
comprometimento da discriminação auditiva).
Surdez Emocional                                                                       F.44.6

Anomalias Dentofaciais                                                              K.07
k.07.0      Anomalias de tamanho da mandíbula
               (macrognatismo mandibular e maxilar)
               ( micrognatismo mandilubar e maxilar)
K.07.1     Anomalias da relação entre a mandíbula com a base do crânio
               (assimetria da mandíbula, prognatismo, retrognatismo)
K.07.2    Anomalias da relação entre as arcadas dentárias  (Disto-oclusão; Mésiooclusão; Mordida aberta/cruzada, sobremordida excessiva; “overjet”)
K.07.3    Anomalias na posição dos dentes
K.07.4    Má oclusão não especificada
K.07.5    Anormalidades dentofaciais funcionais
F.45.8    Deglutição anormal, hábitos viciosos, respiração bucal – exclui bruxismo
K.07.6    Transtorno da articulação temporomandibular
K.07.8    Outras anomalias dentofaciais
K.07.9    Anomalia dentofacial, sem outra especificação
K.14.0    Glossite (abcesso, ulceração traumática)
K.14.1     Língua geográfica
K.14.3     Língua saburrosa
K.14.5     Língua escrotal/fissurada
K.14.8     Língua (atrofia/hipertrofia)
Q.38.1     Língua presa
Q.38.3     Língua Bífida
K.14.9     Doença da língua sem outra especificação  
5Regurgitação e Ruminação                                                           P.92.1
P.92.2            Alimentação vagarosa do recém nato
P.92.5             Dificuldade neonatal na amamentação no peito
P.92.8             Outros problemas de alimentação do recém nato
P.92.9             Problema não especificado de alimentação do recém nato
P.98.2             Transtorno de alimentação na infância (recusa e seletividade)
F.50.9             Transtorno de alimentação, não especificado
R.63.3             Dificuldade e maus hábitos alimentares
K.21                Refluxo Gastroesofágico
Fenda Palatina                                                                                   Q.35
Q.35.0    Fenda bilateral palato duro
Q.35.1    Fenda unilateral palato duro
Q.35.2    Fenda bilateral palato mole
Q.35.3    Fenda unilateral palato mole
Q.35.4    Fenda bilateral dos palatos duro e mole
Q.35.5    Fenda unilateral dos palatos duro e mole
Q.35.6    Fenda mediana de palato
Q.35.7    Fenda úvula
Q.35.8    Fenda palatina não especificada bilateral
Q.35.9    Fenda palatina não especificada
Fenda Labial                                                                                        Q.36
Q.36.0     Fenda labial bilateral
Q.36.1     Fenda labial mediana
Q.36.9     Fenda labial unilateral
Fenda Lábio Palatina                                                                          Q.37
Q.37.0   Fenda do palato duro c/ fenda labial bilateral
Q.37.1   Fenda do palato duro c/ fenda labial unilateral
Q.37.2   Fenda do palato mole c/ fenda labial bilateral
Q.37.3   Fenda do palato mole c/ fenda labial unilateral
Q.37.4   Fenda do palato duro e mole c/ fenda labial bilateral
Q.37.5   Fenda do palato duro e mole c/ fenda labial unilateral
Q.37.8   Fenda do palato duro c/ fenda labial bilateral não especificada
Q.37.9   Fenda do palato c/ fenda labial unilateral não especificada
6Disfagia                                                                                          R.13
Outros sinais e Sintomas Relativos a Função Cognitiva
R. 41.1         Amnésia anterógrada
R. 41.2         Amnésia retrógrada
Distúrbios do olfato e paladar
R.43.0           Anosmia
R.43.1           Parosmia
R.43.2           Parageusia
R.43.8           Distúrbio misto de olfato e paladar
Sintomas e Sinais Relativos à Fala e à Voz
R.47.0           Afasia e Disfasia
R.47.1           Anartria e disartria
R.47.8           Outros distúrbios da fala e os não especificados
Dislexia e outras disfunções  simbólicas não classificadas em outra parte  
R.48
R.48.0            Alexia
R.48.1            Agnosia verbal/auditiva
R.48.2            Apraxia
R.48.8            Acalculia e agrafia
R.27.8            Outros distúrbios da coordenação e os não especificados
G.31.0            Afasia progressiva isolada (doença de Pick)
Distúrbios da Voz
R.49.0            Disfonia
R.49.1            Afonia
R.49.2            Hiper e hiponasalidade
R.49.8            Outros distúrbios da voz (mudança vocal)

quarta-feira, 14 de novembro de 2012


Construa com Sabedoria

Um velho carpinteiro estava pronto para se aposentar. Ele informou ao chefe seu desejo de sair da indústria de construção e passar mais tempo com sua família. Ele ainda disse que sentiria falta do salário, mas realmente queria se aposentar.
A empresa não seria muito afetada pela saída do carpinteiro, mas o chefe estava triste por ver um bom funcionário partindo e pediu ao carpinteiro para trabalhar em mais um projeto como um favor.
O carpinteiro concordou, mas era fácil ver que ele não estava entusiasmado com a ideia. Ele prosseguiu fazendo um trabalho de segunda qualidade e usando materiais inadequados.
Foi uma maneira negativa de ele terminar sua carreira. Quando o carpinteiro terminou o chefe veio fazer a inspeção da casa. E depois ele deu a chave da casa para o carpinteiro. “Esta é a sua casa, ela é o meu presente para você”.
O carpinteiro ficou muito surpreso. Que pena! Se ele soubesse que estava construindo sua própria casa, teria feito tudo diferente.
Se nós pudéssemos fazer tudo de novo, faríamos tudo diferente. Mas não podemos voltar atrás.
Você é o carpinteiro. Todo dia você martela pregos, ajusta tábuas e constrói paredes. “Alguém disse que a vida é um projeto que mesmo constrói”. Suas atitudes e escolhas de hoje estão construindo a “casa” que você irá morar amanhã.

Construa com SABEDORIA!